Ida ao Rio de Janeiro

A Cúpula dos Povos, no Aterro do Flamengo no Rio de Janeiro, foi o local onde aconteceu uma série de atividades relacionadas à Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável.

O grupo de jovens participantes do projeto Rádio Ambiente 21 esteve lá e participou como repórteres dessa que foi a maior Conferência sobre Meio Ambiente do Mundo. Munidos de suas câmaras fotográficas, bloquinhos de anotações, gravadores e muita vontade de fazer a cobertura do evento, eles seguiram para Cúpula do Povos em busca de notícias, sob o olhar de quem teve uma grande missão: representar um grupo de quase 80 jovens também partipantes do projeto, no pensamento e na voz, com muita força e vontade.

Cada um dos participantes, em todos os momentos, pode sentir o peso dessa responsabilidade. Representar quem não pôde ir contibuiu de maneira construtiva para definir o papel de cada um dentro do que nos propusemos a fazer – a cobertura da Rio+20.

Palavras de estimulo, respeito mútuo e companherismo apareciam nos diálogos presentes no dia a dia dos participantes. Todos tiveram a oportunidade de se conhecer e trocar experiências de vida e de trabalho. Foram cinco dias de trabalho intenso, muita preparação e pequisa para selecionar os temas principais que gostaríamos de abordar.

Se o tempo foi curto para explorar a maior parte das manifestações e abordar todos os temas interessantes do evento, por outro, foi possível acompanhar através da perspectiva de quem esteve em outros lugares da Cúpula um panorama detalhado da experiência vivida em conjunto.

Para facilitar, foi necessário nos dividirmos em  grupos para preparar as matérias para os dois programas que foram apresentados e transmitidos ao vivo direto da Rádio Cúpula dos Povos  que, claro, também compartilhamos com vocês aqui no nosso blogue, este espaço onde estamos aprendendo a expressar opinião, refletir e questionar.
Fazendo-se valer da força desse meio de comunicação que é o rádio, nosso grupo está demonstrando a importância de jovens produzirem conteúdo e se posicionarem frente aos fatos que se tornam temas dos programas que apresentam
Sob supervisão dos mediadores do Projeto Cala-boca-já-Morreu e dos instrutores das unidades do Sesc São Paulo, nossa geração vem mostrando ser capaz de colaborar para transformar conceitos ultrapassados e adquirir uma postura mais comprometida com a vida.

Wesley Congro, 24 anos

Deixe uma resposta


+ seis = 14